Leitores abandonam Marvel Comics depois da invasão dos justiceiros sociais. Quem pode culpá-los?


Artigo original: Charlie Nash
Tradução e adaptação: Bruno Maia Giordano


 
Introdução:

A justiçagem social, aquela dos seus amigos engajadinhos de facebook, que utilizam bordões do tipo “seje menas”, amam a palestina e odeiam Israel, sofrem horrores com micro-agressões e com mocinhos salvando mocinhas dos vilões mais sádicos (o que pode ser definido como machismo), está destruindo o roteiro de muitas HQs da Marvel. Como sempre, o mundo mágico dos jornalistas dos "prestigiados" New York Times, Vanity Fair, Huffington Post ou Folha de São Paulo e G1, não passa de uma perfeita periferia da realidade. Se você leu naquele site, que tem o nome de um prato feito a base de ovos crus mexidos, que está tudo bem e que os quadrinhos estão mais inclusivos, quando na verdade trocaram direitos civis por censura política, encare a realidade com o texto abaixo. O mercado dá o recado. 


PS.: Alguns leitores disseram que não há dados sobre quedas nas vendas. Errado: Os dados estão linkados na matéria. Um dado nacional sobre o tal deficit de vendas é este: http://www.universohq.com/noticias/mercado-de-quadrinhos-dos-estados-unidos-passa-por-momento-de-retracao/. A atual recuperação do mercado, deve-se a saga Guerra Secretas.


"Thor? Você está brincando comigo? Eu deveria chamá-lo de Thor? " O vilão da Marvel,  Homem Absorvente grita com a nova "mulher Thor "durante uma briga de rua viciosa em uma edição publicada no ano passado. "Feministas Malditas arruinando tudo!", complementa (Fig. 1).
Fig. 01 - O único problema é que o vilão está certo...
O diálogo espelhou os mais sãos pensamentos do leitor durante a edição, mas não somos todos monstros, como você pode pensar. Somos apenas fiéis, leitores de longa data que estão doentes de raiva com nossos personagens favoritos sendo massacrados por lésbicas de piercing no nariz (e não há nada errado com elas, mas o contexto é apelativo), para vender diversidade e com o aparente custo, não apenas do diálogo, da história e da criatividade, mas também, parece-nos agora, do sucesso comercial da linha de quadrinhos da Marvel.

Um vilão baseado no candidato presidencial republicano Donald Trump está por aparecer em "Spider-Gwen Annual # 1" esta semana. O vilão, que atende pelo nome de MODAAK será visto rondando "estrangeiros sujos", tudo com piadas Mexicanas,  piadas sujas, e até mesmo a assinatura e slogan do Trump: "Faça a América grande outra vez."

Em uma cena, uma Capitã América (mulher, afrodescendente e empoderada) pode ser vista batendo em MODAAK com seu escudo [sic] antes que o vilão possa completar seu slogan "Faça a América grande outra vez" (um clássico cliché das HQs e cinema, batídissimo e pedante) - fig. 03 e 04.
Fig.03- Um dos novos vilões da Marvel é ninguém menos que... Donald Trump...
Sua tolerância pode variar com o dicurso do Trump. Uma abundância de leitores sorrirá sobre as piadas feitas às custas do Donald. Mas a crescente frustração dos clientes em preocupações sobre a terceira onda do feminismo, está obscurecendo o caminho dos quadrinhos da Marvel e isso começa a ter um efeito sobre as vendas. Acontece que você não pode intimidar as pessoas para a se preocuparem com "micro-agressões", dessa maneira. É como xingar seu próprio público.
Fig 04- ...Que leva uma coça da Capitã América empoderada...
Politicagem da mais rasteira.
"[Um monte de sujeira misógina]", "[Meninismo e Racismo Casual de Ativistas dos Diretos dos Homens]", e mesmo "[As opiniões não solicitadas sobre Israel ???]" foram todas as legendas de algumas das falas, em “Angela: Rainha de Hel” (fig.05), uma história em quadrinhos da Marvel que foi cancelada depois de não conseguir definir o mundo em chamas no início deste ano. A história começou com cerca de 40.000 vendas em sua primeira edição, mas caiu para pouco menos de 25.000 em seu segundo número.
Fig.05- Angela- Rainha do Hel, vendeu tão pouco que esta simples visualização teve mais views do que a revista de vendas: quase 50.000
Pela terceira edição, “Angela: Queen of Hel” estava vendendo um pouco mais de 20.000 peças, e pela última edição, de número sete, pouco mais de 14.000 pessoas compraram uma cópia. Isso mesmo: os quadrinhos perderam mais da metade de sua audiência no prazo de sete números.

Isso é porque a indústria de quadrinhos odeia as mulheres? Ou poderia ser talvez porque os leitores não gostam de ser torturados até a morte com política estudantil - ou porque guerreiros da justiça social tendem a não colocar seu dinheiro onde sua boca está.

A Marvel não está recebendo a mensagem. Seu mais recente personagem de quadrinhos é - vejam só - uma garota negra de 15 anos de idade que substituirá o Homem de Ferro. Está certo. Tony Stark, o cara mau, empresário, bilionário e playboy que representou o americano branco por excelência desde a década de 1960 está para ser substituído por uma garota negra 15 anos de idade, com um afro e brincos de argolas (novamente a questão aqui é de contexto).

Outras editoras de quadrinhos dificilmente são santas, é claro. Em uma edição de Mulher Maravilha da DC no ano passado, a popular super-heroína, queixou-se de um vilão que estaria fazendo "mansplaining" com ela antes que uma aliada lhe desse um soco na cara para o “crime” (o ato de falar interrompendo uma mulher é, segundo as caricatas feministas de terceira onda, chamado de mansplaining). "O lasso obriga a verdade, mas não pode parar o mansplaining" (Fig. 06), declarou a Mulher Maravilha, logo depois  o "cara mau" teve seus dentes arrancados da boca pela amiguinha (a imagem da cena também teve mais visualizações negativas, do que o gibi em vendas… e é um dos momentos mais pedantes de toda a história dos comics).
Fig 06 - Até os típicos bordões do movimento feminista de internet, estão colocando nas histórias, como o caricato "mansplaining"
Os novos estilos políticos sociais parecem uma escolha estranha para os editores que têm uma audiência predominantemente apolítica - e desproporcionalmente masculina-  particularmente desde que o CEO da Marvel, Ike Perlmutter, também doou US$ 1 milhão para o Fundo dos Veteranos militares dos EUA, de Trump, em janeiro.

"Nós estamos vendo a pior queda de vendas da Marvel e DC na história em 38 anos da loja"
, reclamou um proprietário de uma loja de quadrinhos em um fórum da indústria. "Ambas as empresas estão perdendo leitores estabelecidos que já não sentem que a produção da empresa reflete o tipo de quadrinhos que eles gostam".

"Pela primeira vez na história da loja, o gerente de vendas da Marvel nos viu encomendar um dígito em mais de metade dos itens na linha da seção Marvel."

Os leitores da Marvel estão azedando particularmente rápido. Com a exceção de alguns quadrinhos grandes, cujos personagens, até agora, escaparam do expurgo SJW de qualquer coisa remotamente parecida com um homem branco hétero, os leitores da Marvel estão indo simplesmente para outro lugar.

A Marvel alterou radicalmente os seus personagens clássicos, cedendo aos apelos para mais diversidade, criou um Spiderman negro e uma Thor mulher (ao invés de criar novos personagens para atender esta demanda). Isto, efetivamente, tem transformado uma empresa multi-bilionária em um zine justiceiro de um dollar.

Aqui está uma novidade para a Marvel: racialistas agressivos e guerreiros de gênero, que se queixam sem parar sobre a "falta de diversidade" nas histórias em quadrinhos não compram histórias em quadrinhos. Eles estão interessados em políticas de identidade, não em diversão.

Quando os seus clientes - os fãs de quadrinhos por toda uma vida - pegarem a última edição e encontrarem uma miscelânea de irrelevantes e intimidantes comentários pop culturais e sociais, eles provavelmente não vão comprar a próxima edição. Não porque eles são machistas e racistas, mas porque as coisas que você estão publicando são uma porcaria.

As pessoas lêem histórias em quadrinhos para escapar do mundo real, e os leitores estão fartos de serem chamados de homens privilegiados cis brancos ou misóginos no mundo real, e ainda mais em um lugar do qual querem escapar. Se vocês quiserem colocar essas coisas em seus comics, vão em frente, mas os leitores irão somente parar de comprá-los.

A Marvel está refém, dividida entre apaziguar justiceiros sociais (SJWs) ou enlouquecê-los, depois de tentar corrigir alguma situação confusa com algum tapa de luva, quando na verdade deveria oferecer o dedo médio em resposta. Eles não estão muito preocupados agora, devido ao sucesso dos filmes de super-heróis nas bilheterias.

Mas enquanto a empresa está fazendo dinheiro em Hollywood, na esperança de que as audiências continuem entusiasmadas com franquias de crossovers cada vez mais desesperadas, há problemas no horizonte, não apenas no núcleo de propriedade intelectual do estúdio, mas na integridade criativa do seu trabalho, também.  Marvel: Apenas faça as coisas direito...
---- 
Firmamos uma parceria com a Ponto Frio e estamos oferecendo até 70% de desconto em celulares, tvs e outrs eletro-eletrônicos. É a sua chance de comprar um Motorola G3 por R$944,44. Não pedimos doações e a receita do site depende unicamente do seu clique gratuito. Clique no Link para conferir as promoções.
Link:
Descontos 70OFF

Pop Liberal

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.

108 comentários:

  1. Nunca concordei tanto com um texto.

    ResponderExcluir
  2. Sabe o que eu penso?

    Quem reclama, nunca foi leitor Marvel.

    Nunca entendeu arcos de história e narrativa, nunca entendeu o Cabeça de Teia, nunca entendeu os XMEN.

    A Marvel sempre foi inclusiva. Gavião Arqueiro já foi bandido e vilão do homem de ferro, virou mocinho e tem uma legião de fãs.

    O Cachaceiro de ferro, já passou o manto para o Rhodes antes dele virar o Máquina de Combate.

    Heróis legado tem aos montes, tipo a Canário Negro na DC ou mesmo o Flash, que saiu de Barry, foi pro Wally (negro em novos 52 e vai voltar a ser ruivo) a tropa dos Lanterna Verde.

    Criar novos heróis é fácil, difícil é criar novas sagas para velhos personagens e não beirar a forçação de barra como o Deus Batman.

    As duas editoras tem seus defeitos e suas qualidades.

    Eu vou abraçar os arcos mais do que nunca, principalmente por que a Marvel vai explicar COMO O X-men: Ciclope morreu.

    ResponderExcluir
  3. O problema é que a mudança no cânone, serve a pretextos políticos. A Marvel sempre teve essa pegada pelos direitos civis, mas atualmente, passou dos limites e se juntou a turma extremista das redes sociais.

    ResponderExcluir
  4. Nao amigo não se junto... os tempos estão mudando queira ou não...
    A nova Iron é uma personagem de legado eu to batendo palmas pra marvel, claro que o Tony Stark volta... vcs estão defendendo titulos e não personagens, um dos personagens mais queridos da DC surgiu assim Wally West, pra mim o melhor Flash além dos fantasticos lanternas verdes que ja surgiram. O Aranha do Ultimate que esta agora no universo regular eh fantastico.
    Então parem de chorar que se houve queda de vendas nada tem a ver com este argumento falho ai de cima. No caso da Angela foi que cagaram com ela em varias outras coisas, eles não entendem a personagem aidna e vai demorar pegarem o jeito.
    Vamos pegar pra debater mais trocar mais ideias e não so querer enfiar essas ideias guela abaixo das pessoas... finalmente estamos vendo tentativas novas em um mundo ja velho...

    Bem vindo a um mundo novo, vamos lutar para torna-lo melhor e igual até para a velha guarda, não vamos perder nossos fan services... mas vamos acolher novos...

    Abraços a todos... e vamos debater...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. mas é o que vcs esquerdistas hipócritas fazem, é enfiar essas merdas de ideias que vcs tem goela abaixo de todo mundo!

      Excluir
    2. Só uma perguntinha, pra me situar: quantas revistas em quadrinhos você compra por mês, Vekariel? E a quanto tempo?

      Excluir
    3. Só uma perguntinha, pra me situar: quantas revistas em quadrinhos você compra por mês, Vekariel? E a quanto tempo?

      Excluir
  5. Na boa? A questão aqui não é simplesmente trocar um personagem branco por um negro. Na real, não tem absolutamente nada a ver com isso. Tem a ver com ficar enfiando esse "SJW-ismo" nossa guela abaixo. O problema não é ter uma mulher Thor, o problema é colocar uma mulher no lugar de um Deus homem e depois satirizar quem reclama. O problema não é uma Capitã America negra, o problema é tomar partido fazendo uma Capitã America negra lutar contra um vilão baseado num politico, obviamente ironizando suas ideias. O problema não é a Mulher Maravilha capturar um vilão. O problema é transformar essa situação numa guerra de generos.

    Ser inclusivo é uma coisa. Criar uma história inteira ou situação com o unico objetivo de satisfazer a agenda de extremistas irracionais é outra totalmente diferente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com quase tudo. Mas acho sim que castrar personagens masculinos e pintar a cor da pele de personagens brancos é um problema, sim. Não teria problema criar novos heróis, com mais diversidade, eu apreciaria mais heróis negros, mais heroínas e porque não heróis gays (desde que a história não seja pornô gay), mas heróis novos, pela criatividade e pelo verdadeiro respeito a diversidade; porque trocar a cor e o sexo de um personagem é como dizer que mulheres e negros precisam se escorar na fama de heróis brancos para terem sucesso; é a discriminação positiva, um falso respeito à diversidade. Que ofende os homens e os brancos; e os negros e as mulheres que possuem uma cultura mais elevada e percebem essa falsidade.

      Excluir
    2. Muito bom, Zeze, eu que vendo action da Marvel, não sabia q nas historias oficiais estavam indo para esse rumo. Não perdoei a Marvel transformar o Nick Fury no Sagat, quando eu vi que a mistureba de cores e gêneros era geral... Agora a história ser assim??? Se for verdade o que você falou, a situação é mil vezes pior.

      Excluir
  6. A Marvel sempre fez mudanças, mas essas mudanças nunca foram antes de destruir um personagem para inserir um novo personagem, exemplo fizeram o thor virar um babaca e se tornar indigno para que a nova Thor entrasse, fizeram o tony stark perder a extremis e virar um super babaca que vende aplicativo de poderes para criar a nova homem de ferro, fizeram o capitão america virar agente da hidra, pqp sinceramente quem aprova isso e usa como argumento que "nunca entendeu quadrinhos x ou y" está apenas enganando a si mesmo da verdade

    ResponderExcluir
  7. Ótimo texto cara, é tudo que eu pensava a respeito dessas mudanças.
    Estão seguros com os filmes mas vão começar a contamina-los também, o Capitão vai beijar o Bucky e vai foder com tudo ashua

    ResponderExcluir
  8. Nem consegui ler tudo, muita baboseira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É burra, preguiçosa e provavelmente esquerdista... ops, já falei que é burra e preguiçosa.

      Excluir
  9. Não só a Marvel, mas qualquer estúdio deveria dar o dedo médio em resposta as demandas de justiceiros sociais.
    Esses trolhas não ligam para arte. Não pensam em diversão. Eles só querem censura por meio de patrulhamento. Só pensam em fazer de tudo a sua volta um grande palanque político para vender suas demagogias. E claro, insultar aos fãs mais antigos do conteúdo clássico através dessa militância barata.Infelizmente esta lição básica só será aprendida quando um grande estúdio afundar e as causas forem pela falta de venda de seus quadrinhos politicamente corretos que por serem assim são de péssima qualidade.

    ResponderExcluir
  10. lá vem os mimizentps falando q quem reclama n é fa e p ser fa de xmen tem q apoiar gay para de falar merda vey

    ResponderExcluir
  11. Chorei lendo. E esses "leitores" que acham super de boa mudar sexo,etnia ou opção sexual de heróis amplamente conhecido são só um bando de esquerdinhas querendo cagar lei.

    ResponderExcluir
  12. O primeiro personagem a mudar de aparencia por causa do politicamente correto foi o Nick Fury, de homem branco pra homem negro. Até hoje não entendi essa mudança e o propósito dela.
    Porque não fazem um Blade loiro de olhos azuis então, ou um Luke Cage asiatico.
    Bosta de politicamente correto.

    ResponderExcluir
  13. Marvel deixou de ser humanista para virar feminista.

    ResponderExcluir
  14. Olha, não poderia concordar mais! Realmente é bem isso que está acontecendo. E o pior nem é a Marvel estar incluindo essas questões forçadas de justiça social, e sim boa parte do público nerd ser comprado por esses apelos e discursos moralistas que escondem a verdade. Sorte que eu leio coisas mais antigas e tal. Visito mais o sebo do que bancas para minha alegria. Está cada vez mais difícil apenas viver como uma pessoa normal nesse mundo. Em todos os lugares o politicamente correto e as ideias de esquerda estão lá! Lamentável

    ResponderExcluir
  15. Marvel está um lixo atualmente.

    ResponderExcluir
  16. Sensacional.
    Simbora ler HQs japonesas e europeias, moçada.

    ResponderExcluir
  17. Acho mais interessante quando criam heróis novos para aumentar a diversidade. Sobre a qualidade das histórias não posso falar pois não estou lendo, mas quem conhece quadrinhos sabe que essas mudanças são temporárias. Queria lembrar que Peter Parker ainda é homem-aranha, a diferença é que agora são três deles. A pouco tempo vi uma noticia de que a Thor nova está vendendo mais que o antigo. E a spider-gwen, onde vai aparecer o Trump, é uma das mais vendidas da editora. Não vi nenhum outro lugar falar de queda em vendas no geral. A marvel é a editora que mais vende nos usa e houve um aumento de vendas dela a partir de 2012 que aumentou ainda mais a partir de 2015 quando passou a publicar star wars e a saga guerras secretas seguido do relançamento das revistas de seu universo de super heróis.

    ResponderExcluir
  18. A Marvel foi uma das primeiras a incluir um personagem negro, em histórias sobre guerra, na revista SGT. Furry, no tempo da guerra onde negros não podiam se alistar para servir ao país. Mas isso era para dar um choque de realidade, falar assim, hein país, existem cidadãos negros, e eles podem ser bons soldados como qualquer outro. hoje é só vitimismo, feminismo e socialismo goela abaixo, não existe uma mensagem para passar, nada alem da mensagem ligada a uma utopia que matou mais de 100 milhões de pessoas.

    ResponderExcluir
  19. Particularmente, eu discordo bastante do texto e concordo com o comentário acima do Paladino.

    A Marvel desempenha um bom papel inclusivo e isso não é de hoje. Acredito, entretanto, que as vendas estão ruins não porque a editora decidiu abraçar o lado inclusivo. As vendas estão ruins porque as histórias estão ruins. Ponto.

    Como dito anteriormente, a editora sempre foi inclusiva, isso desde X-Men e vindo até o Spidey que, de acordo com Stan Lee, foi feito com o rosto todo coberto justamente para que qualquer pessoa pudesse se identificar com ele.

    E sobre a Thor, leiam Terra X, de 1999. Uma das melhores histórias da Marvel já tinham uma Thor feminina.

    Por favor, sem mimimi de ambos os lados. Espero que a Marvel melhores, principalmente, porque vão matar o Ciclope e vão trazer o Gambit de volta :)

    ResponderExcluir
  20. A Marvel inclui minorias e critica preconceito desde os anos 60, mas parabéns pela ignorância e o textão pra justificar o ódio por um desenhinho de uma negra.

    ResponderExcluir
  21. Matéria babaca destinada a gente babaca. Se vocês querem ficar lendo a mesma merda por 100 anos é só ler os quadrinhos antigos de novo. O mundo muda e o quadrinho também.

    ResponderExcluir
  22. Isso começou com George Lucas e Steven Spielberg alterando antigos filmes de sucesso de Guerras nas Estrelas e Indiana Jhones. No início a gente não liga, mas acha que é besteira, que não faz diferença, MAS FAZ SIM. É a destruição do passado, presente e por conseguinte o futuro por conta de fanatismos ideológicos e censuras culturais e artísticas absurdas por pessoas que se dizem defensoras da liberdade de expressão, incoerência pura. E o pior é que quanto mais "cederem" para esses loucos (bater palmas pra maluco dançar - como se diz) é pior, pois eles ampliam o alcance da maluquice deles.

    ResponderExcluir
  23. Mimimimi politicamente correto mimimimi justiceiros sociais mimimimi

    ResponderExcluir
  24. Marvel caindo e O Doutrinador crescendo.

    ResponderExcluir
  25. Comics virou tudo panfletagem de propaganda politica.
    Descaradamente estao fazendo propaganda contra um candidato politico em periodo de eleição.
    Nao existe nada de justiça socialna tal justiça social americana, e tudo ploliticagem e atualmente comprar comics se esta literalmente pagando por propaganda politica.

    ResponderExcluir
  26. Estourou o comboio da viadagem nos comentários. Um bando de narcisistas q punhetam o próprio ego pra achar q é o moralista por causa de HQS onde nunca colocaram os dedos num Moebius e Paolo Serpieri querendo defecar regras e definir oq vc entende sobre universo Marvel ou inclusão social. Em tempo, parabéns pelos texto.

    ResponderExcluir
  27. Por isso larguei de mão a Marvel agora so vejo o homem aranha miles , de resto so dc que a unica esquerdisse e a hq do arqueiro verde que passo bem longe, so li o arqueiro verde do flashpoint e passei raiva de tanta esquerdisse

    ResponderExcluir
  28. Vcs tem página no Facebook?? Se não tem precisam ter rs

    ResponderExcluir
  29. O politicamente correto acabou com a graça do mundo.

    ResponderExcluir
  30. Spider-Gwen vai sim, vender muito. Não tenham dúvidas. Mas dificilmente sobrevive até o número 7. As pessoas compram devido a curiosidade, mas as histórias tendem a cansar com esse tipo de expediente político.

    ResponderExcluir
  31. A queda na venda de algumas hq's, só prova que os tais Sjw Não compram as hq's simples assim.

    ResponderExcluir
  32. O maior problema dessa "diversidade" é que ela é hipócrita. Não pensem que eles estão realmente abraçando bandeiras políticas, trata-se de ser demagógico pra vender gibi. A terceira onda do "feminismo" pelo menos lá nos EUA é como tudo por lá transformado em moda de consumo. Então até o "Homem" de Ferro tem que ser MULHER.

    Daí falam que o mundo mudou, mas que mundo? Nos EUA negros realmente são uma minoria, estamos falando de 11% da população. Sim, leitores negros tem que ter personagens com quem se identificar, mas se os brancos quiserem se identificar com alguém isso é racismo? POrque o branco tem que ter empatia com personagens negros, mas os negros e mulheres não tem nenhuma empatia com personagens homens, brancos e heteros? É o leitor branco (A MAIORIA) que tem que ter empatia com o alheio, não é uma via de mão dupla, mas apenas de mão única, um verdadeira troca da "supremacia" branca, hetero e masculina por uma supremacia das minorias, e pior, porque estamos falando de MINORIA MESMO, de uma porcentagem MENOR de pessoas IMPONDO o que é para uma maioria ter que aceitar, admirar e venerar.

    Diversidade é interessante no sentido que o mundo real é diverso, mas a Marvel revela sua demagogia justamente por trocar todo mundo, sendo o único papel proposto para um homem branco e hetero como o antigo capitão américa steve rogers o de nazista e opressor. Parabéns a quem FINANCIA essa merda. Eu não. Nunca mais.

    ResponderExcluir
  33. Não xinguem a DC pelas merdas da Marvel. Mulher-Maravilha sempre foi feminista e criada por um feminista nos anos 40. De resto, ela ainda é a mesma de 75 anos, com todos os retcons e reboots, ainda o mesmo personagem, da mesma forma o Superman e o Batman, ambos Kal-El e Bruce Wayne. Não mudaram de sexo, de opção sexual, de cor, etnia ou nacionalidade.

    Claro a DC também anda querendo apostar em diversidade com os novos lanternas verdes, mas pelo menos o Hal Jordan continua lanterna e com o gibi dele. E com o Kid flash negro não deu certo, o verdadeiro Wally (que é branco para horror dos SJW) está de volta. Assim como Barry Allen, Aquaman e Oliver queen continuam sendo as mesmas pessoas, a mesma etnia, o mesmo sexo, opção sexual e nacionalidade. E o Cyborg negão é um personagem 100% mais autentico que qualquer merda genérica que a Marvel tem criado pra dizer que tem diversidade. Vão criar personagens novos cambada! Não substituir os antigos!

    ResponderExcluir
  34. Sou fã de HQ's desde 1980 e a Marvel foi minha editora favorita até por volta do ano 2000. De lá para cá, especialmente depois da Marvel ter sido vendida pra Disney, noto uma decadência assustadora na (falta de) qualidade das histórias. A Marvel se tornou uma empresa sensacionalista, que parece não gostar de seus próprios personagens, a ponto de descaracterizá-los ao ponto de torná-los irreconhecíveis. Querem ser mais inclusivos? CRIEM NOVOS PERSONAGENS E NÃO DESTRUAM AQUELES QUE SÃO, TRADICIONALMENTE, AMADOS DOS LEITORES. Mas parece que a "Casa das Ideias" já não tem mais ideias boas pra mostrar, só BIZARRICES.

    ResponderExcluir
  35. Falando, não como nerd, mas como estritamente, como publicitário, sem os dados de venda, não tem como tirar conclusão mercadológica nenhuma se o re-branding teve ou não o resultado revertido em sucesso ou não. Se o re-branding teve resultado positivo eles não vão mudar porquê você não tá mais satisfeito com o produto. Não se apresentou nenhum dado concreto de que o re-branding fracassou. É, no minimo, ingenuo levar isso a sério. E os ditos "liberais" se dizem ultrajados pelo capitalismo agir como sempre agiu ao buscar um novo mercado. É pior do que incoerente, é hipócrita.

    ResponderExcluir
  36. Ótimo texto.
    Os mimizeiros sociais já se pronunciaram contra.

    ResponderExcluir
  37. À sombra do autor mítico, habitarei

    ResponderExcluir
  38. É a praga dos nossos tempos. Belo texto.

    ResponderExcluir
  39. É muita baboseira para um texto só. Usa dado manipulado, omite informações relativas a vendas.... crie vergonha na sua cara e pare de escrever.

    ResponderExcluir
  40. Estão vaga dos de medo do trump nos EUA e do Bolsonaro no Brasil.
    Essas agendas politicamente corretas não sobrevivem a um governo que não for baseada nelas.

    ResponderExcluir
  41. As informações constam na matéria. A única informação que não está é sobre a venda de Black Panther, que foi o primeiro lugar em abril de 2016. Black Panther não é redesign ou remake de personagem, é um personagem clássico com novo arco de histórias. O selo Tudo novo, tudo diferente, não remodelou personagens, destruiu-os e pegou elementos superficiais deles.

    ResponderExcluir
  42. E os eleitores do Bolsonaro resolveram opinar sobre o mercado editorial de quadrinhos. E demonstraram que, assim como acontece na política, manjam muito bem da coisa. Kkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  43. O problema é que tudo parece forçado. Fica uma coisa de universidade pública brasileira,cota para tudo e todos. Podia ter personagem mais"inclusivo",mas não como esse didatismo mala de seminário de escola fundamental.

    ResponderExcluir
  44. Tão ruim as vendas que a Marvel já está mandando para a TERCEIRA reimpressão hein: http://legiaodosherois.uol.com.br/2016/anuncio-da-nova-homem-de-ferro-faz-marvel-imprimir-mais-copias-das-edicoes-anteriores.html

    ResponderExcluir
  45. Parabéns pelo excelente texto. A Marvel sempre fez seu papel de inclusão nos quadrinhos, porém, isso virou obsessão. Sua campanha pro-Democratas está fora do controle. Ridículo.

    ResponderExcluir
  46. O texto tem muito mimimi desnecessário...
    Há muito q a marvel é sensível às questões sociais.. Homem-aranha, quarteto, pantera negra, demolidor e principalmente x-men. Quem reclama nunca percebeu o subtexto q a marvel sempre colocou em seus quadrinhos. Hehe.. e vcs ainda clamam pela arte... Se vcs (os reclamões) nunca conseguiram perceber estas sutilezas nas histórias da marvel, como podem declarar o que é feito, ou não, pela arte?

    ResponderExcluir
  47. A Marvel sempre teve uma linha editorial de inclusão, ela só está se adaptando ao tempo. O pensamento feminista é revolucionário e vai mudar sim as estruturas do patriarcado, inclusive nas histórias de quadrinhos. Precisamos de novas narrativas, novas personagens e novos arcos que contemplem outras vozes. Nós, homens brancos privilegiados, já fomos retratados em todas as mídias possíveis, chegou a vez delas.

    ResponderExcluir
  48. Cara. Errou rude.

    Alguém citou anteriormente que "quem não está gostado dessa onda - extremamente positiva, por sinal - de INCLUSÃO no mercado americano de HQs, em especial na Marvel Comics, não conhece absolutamente nada, da história da Editora." E isso é verdade.

    Inclusão é necessária amigo, convido você a entrar no século 21. O mundo é bem maior que as nossas HQs favoritas.

    Que tal se dividíssemos o nosso gosto e afã por esse material maravilhoso com pessoas que depois de muito tempo finalmente podem se enxergar em heróis que foram remodelados para elas?

    Poxa cara, pare para pensar em um menino gay que gostasse de HQ sem no entanto nunca ter visto um Herói que realmente representasse o que ele sentisse. Um em uma menina que precise ler HQs escondida pq "isso é coisa de menino".

    Enfim, creio que a industria tem sofrido com quedas de vendas e nessa parte eu concordo com você, deve ser mesmo por causa do processo de remodelagem e inclusão dos personagens. Mas ao contrário de você, creio que isso tende a ser cada vez mais positivo.

    ah sim. Só pra fechar:

    PARE DE LER HQS NOVAS COLEGA! PODE FICAR NOS ANOS 90 PARCEIROS.

    VOCÊ ESTÁ SE ATENDO À PRECONCEITOS MASCARADOS COMO: "AH, MAS PODERIAM CRIAR UM PERSONAGEM NOVO AO INVÉS DE MEXER NOS QUE JÁ EXISTEM...E BLÁ BLÁ BLÁ..."

    VOCÊ USA A PALAVRA "LIBERAL" DA FORMA MAIS BESTA DO MUNDO, COMO JUSTIFICATIVA PARA FALAR ASNEIRA PRECONCEITUOSA.

    E SE VOCÊ SE PÕE CONTRA A INCLUSÃO QUE A MARVEL TEM FEITO E QUE OUTRAS EDITORAS JÁ DEVERIAM ESTAR FAZENDO A MUITO TEMPO, PERDÃO, NÃO É VOCÊ QUE NÃO PRECISA DA INDUSTRIA. É ELA QUE AOS POUCOS JÁ NÃO VAI MAIS PRECISAR DE VOCÊ.

    ResponderExcluir
  49. A Marvel está em decadência, assim como o feminismo. Já era de se esperar a queda da vendagem e daqui alguns meses o movimento de abandono dessa estupidez...

    ResponderExcluir
  50. Tá, eu não vi tanto problema no texto apesar de uns espantalhos desnecessários. Todos tem direito de demonstrar insatisfação por mudanças em seus entretimentos e argumentar porque achou a mudança sem sentido e desnecessária.
    Mas na moral, esse paragrafo:
    "As pessoas lêem histórias em quadrinhos para escapar do mundo real, e os leitores estão fartos de serem chamados de homens privilegiados cis brancos ou misóginos no mundo real" FILHO cê tá falando de facebook ou de vida real?? Sério que tem homem que fica cabisbaixo só porque no FACEBOOK tem uma galerinha que chama deus e o mundo de "cis branco misogino"?
    Sério, esse pessoal precisa de uma dose de vida real pra ver que o mundo fora da internet(tirando a parte ínfima de pessoa que militam também na vida real) ninguém sabe que caralhos é misoginia ou cis, e quando se fala de privilégio elas pensam só no significado comum (tipo ter grana pra caralho e poder ficar na área vip da baladinha top)

    ResponderExcluir
  51. Concordo muito com o texto! No caso da Mulher Maravilha discordo. Ela foi criada num contexto feminista, ela eu não vejo nada de errado em usar termos do feminismo. Tudo bem que o contexto de quando ela foi criada era bem diferente e mais legítimo... Enfim, por já ter visto mimizentos cancelarem uma capa do Coringa com a Batgirl gostaria de dar uma salva de palmas para esse artigo.

    ResponderExcluir
  52. A Marvel só está atendendo às demandas do santíssimo mercado, não é mesmo? Quem poderia culpá-lá por isso?

    ResponderExcluir
  53. Para mim tudo muda quando fazem o Thor algo diferente que o estereótípico homem branco loiro de olhos azuis, Thor era um deus Nórdico ainda antes de existir a Marvel. Fizessem outro deus que fosse mulher e que ia desempenhar papéis típicos do Thor, mas Thor é Thor, até o nome é um nome Nórdico masculino.

    ResponderExcluir
  54. Recomendo dar uma pesquisada em Faith, o sonho molhado dos SJWs, a heroína perfeita (pra eles). Vende menos que injeção no olho. Não adianta, gente que é reclamador profissional não quer saber da mídia, da cultura de quadrinhos, eles não consumiam antes e não consomem depois.

    ResponderExcluir
  55. Se não fosse de uma forma tão forçada e demagógica,não haveria problema algum em ter personagem mais"inclusivo". Mas preferem deixar com esta cara de universidade pública brasileira,onde para tudo deve ter cotas. Soa didático,hipócrita,politicamente chato.

    ResponderExcluir
  56. Informação sem referências é bullshitting.

    ResponderExcluir
  57. Uma parte do texto que explica tudo isso aí:
    "...racialistas agressivos e guerreiros de gênero, que se queixam sem parar sobre a falta de diversidade nas histórias em quadrinhos não compram histórias em quadrinhos. Eles estão interessados em políticas de identidade, não em diversão."

    ResponderExcluir
  58. É uma viadagem dos infernos, ninguém aguenta mais essas frescuras de SJW.
    Eu já cheguei ao meu limite, estou abandonando completamente as HQs até pararem com essa frescura. Vou me contentar com mangás.

    ResponderExcluir
  59. Alguns usam o argumento do "séc. XXI". Esta época deveria ser marcada pela tal tolerância, mas quando uma mulher arranca os dentes da boca de um cara porque ele está fazend "mansplaining", definitivamente não é tolerante. Atentem que a questão é a baixíssima qualidade das histórias e não a representatividade de minorias, visto que minorias sempre foram representadas nos comics.

    ResponderExcluir
  60. http://www.universohq.com/noticias/venda-de-quadrinhos-nos-eua-cresce-gracas-aos-encadernados-e-graphic-novels/

    ResponderExcluir
  61. http://www.universohq.com/noticias/a-saga-guerras-secretas-leva-a-marvel-para-o-topo-das-vendas/

    ResponderExcluir
  62. assim como espero que seja publicado essas observações aqui vou por suas observações num site especializado em hqs e digo a fonte. espero que vc aprove. Sei q no site de HQs eles aprovaram. :)

    ResponderExcluir
  63. Estava lendo numa boa todos os comentários,até ler isto:
    "A Marvel sempre teve uma linha editorial de inclusão, ela só está se adaptando ao tempo. O pensamento feminista é revolucionário e vai mudar sim as estruturas do patriarcado, inclusive nas histórias de quadrinhos. Precisamos de novas narrativas, novas personagens e novos arcos que contemplem outras vozes. Nós, homens brancos privilegiados, já fomos retratados em todas as mídias possíveis, chegou a vez delas. "
    Essas vãs discussões de quem é ou não priviliegiado,se encerram quando tocam no tema do serviço militar obrigatório para "elas".

    ResponderExcluir
  64. http://www.universohq.com/noticias/a-saga-guerras-secretas-leva-a-marvel-para-o-topo-das-vendas/

    ResponderExcluir
  65. eu não entendi esse das vendas caírem, tem o "depoimento" de comerciantes e bum, caíram por causa das feministas. mas ninguém leva em consideração que a venda de livros, HQ, GIBIS e afins estão caindo drasticamente com os Livros digitais venda pelo comercio eletrônico, e até mesmo a pirataria. As mudanças dos personagens e Historias é uma forma de conseguir um publico maior, ja que as características e gostos dos jovens mudaram, o publico alvo não é mais o mesmo, manter a mesma formula sempre seria um suicídio para a Marvel, então se você prefere que os HQs mantenham a moda antiga, como era na sua infância, saiba que você não é mais o publico alvo.

    ResponderExcluir
  66. Esse é o problema dessa galera, você tem apenas que olhar os comentários. Olha como eles pensam que são evoluídos e inteligentes, enquanto apoiam ideias retrógradas que não deram certas em lugar nenhum do mundo. Só pegar o programa CQC como exemplo, assim que aderiram ao politicamente correto, perderam a audiência quase que instantaneamente. Politicamente correto não dura sem dinheiro público, se você pensa que você é evoluído por ser emotivo além da racionalidade, você se aproxima mais de um cachorro que age apenas por emoção do que a evolução em si, sendo o que nos separa de animais é a racionalidade e não emoções.

    ResponderExcluir
  67. criar novos personagens é normal, agora vim com papo que os tempos mudaram e que nao deve existir mais o Thor e sim a Thor, é pura balela, isso é querer atrair o publico com o assunto do momento, se for pra seguir esse caminho pq nao segue uma segunda linha de historia e conserva todos, agora vim com essa de substituir pra poder satisfazer um publico que nem quadrinhos lê, ahh vá

    ResponderExcluir
  68. quanto mimi em um texto só....

    Para exemplificar, a revista da Thor já bateu recordes de venda... já passou o thor...

    a marvel está atendendo ao mercado.

    outras pessoas querem ter empatia com os personagens de revista em quadrinho.. e elas são um público-alvo grande e que estão dispostas a comprar revistas.

    ResponderExcluir
  69. Esse texto representa todos os leitores DE VERDADE de quadrinhos.

    ResponderExcluir
  70. A única coisa que concordo superficialmente com o texto é que mudar a etnia ou sexualidade de personagens estabelecidos a décadas é falsa inclusão, mas se estes são novos personagens assumindo antigos papéis, não tenho qualquer problema com isso. Os quadrinhos abordam os dilemas pertinentes a seu contexto histórico-social desde que a mídia existe. As queixas que noto neste texto são variações das mesmas que houveram quando a revista Lanterna Verde/ Arqueiro Verde de Dennis O,neal e Neil Adams enfrentaram o racismo e a opressão aos nativo-americanos nos anos 70. Na verdade, é quando certos setores da sociedade reagem a esta vocação do meio, como aconteceu com o advento do Comic Code nos anos 50 que eles se tornam menos relevantes, com os heróis limitados a enfrentarem cientistas loucos e alienígenas conquistadores. Se há leitores que tem dificuldade em aceitar que esta mídia desempenhe uma função que sempre cumpriu com excelência (Cavaleiro das Trevas e Watchmen que o digam), sinto muito por eles.

    ResponderExcluir
  71. Stella Mota, a Thor não bateu recordes de venda, na verdade despencou. Publiquei, sim os links acima sobre guerras secretas. Está vendendo bem, porque está apelando pouco. Não inválida os dados acima.Por favor, postem fontes, não postem achismo.
    https://www.reddit.com/r/KotakuInAction/comments/31obs3/ot_sales_of_thor_have_dropped_by_54_since_issue_1/

    ResponderExcluir
  72. O problema não é abordar dilemas e conflitos. HQ não é folheto de ONG. Não é panfletagem do governo. É diversão com alguma dose de reflexão. Outro problema, muito mais grave, diz respeito a aniquilação dos personagens... Uma Thor, com outra linha de tempo, tomada por personagem oficial, não é Thor, é um Frankenstein. É como colocar um cara para ser a Tempestade dos X-Men.

    ResponderExcluir
  73. Eu acredito que boas histórias vendem mais do que franquias,não é a toa que colecionadores procuram muitas vezes o nome dos escritores(como Frank Miller,Neil Gaiman ou Alan Moore)antes até do personagem.Nos anos 90 as editoras acreditavam que o visual era mais importante e não foi a toa que coisas como heróis renascem e boa parte da Image não vingaram.O público alvo da nona arte é em sua grande maioria adolescente e adulto,visto que eles são fiéis como colecionadores,mas as grandes editoras perderam totalmente o rumo criando grandes eventos pra tapar furos de continuidade ou zerar contagens só pra tentar vender pra públicos novos.Indiferente de inclusão social ou qualquer que seja a discussão que está gerando as mudanças nos personagens clássicos que conhecemos,o que está faltando são boas histórias,que não se preocupam se são vendáveis ou politicamente corretas.

    ResponderExcluir
  74. Acredito que quem reclama não lê quadrinhos e só conhece os personagens da Marvel/ DC pelo cinema.

    ResponderExcluir
  75. Eeeeeee parabéns, que "bela peça de jornalismo". Quanto chorume hein, amiguinho? Provavelmente você acordou atravessado porque agora a armadura do Homem de Ferro é usada por uma mulher afro-americana e procurou qualquer bobagem na internet que corroborava a sua "verdade" e achou por bem traduzir e republicar como bom jornalismo.

    A verdade amiguinho é que olha a quem você decidiu se associar, um americano babaca com posições políticas extremamente retrógradas. Eu mesmo fiz o trabalho que você não fez de verificar outros textos do figura e olha o que encontrei:
    "Despite remaining under scrutiny for its liberal biases, Facebook has used the aftermath of the Dallas shootings to pander to Black Lives Matter.". Um cara que tripudia em cima de movimentos sociais sérios como o Black Lives Matter. Realmente, fonte de opinião de qualidade essa que você buscou se amparar. ¬¬



    Já que você tá tão no esforço de procurar base argumentativa na direita estúpida americana que apoia o Trump, pega um texto aí também do Rush Limbaugh, Bill O' Riley, publica vídeo da Fox News.

    Mas é cada uma...

    ResponderExcluir
  76. Amiguinho, sem falar que não tem menção nenhuma do texto do universoHQ de que a queda de vendas, de uma amostra de apenas 2 meses, esteja DIRETAMENTE ligada com a inclusão social e representatividade crescente nas HQs. Sem falar que decisões editoriais como essas vieram muitas vezes de input criativo dos maiores nomes a trabalhar na Marvel hoje. Caras como Brian Michael Bendis, Mark Waid, etc

    Vai ler HQ e para de choramingar e falar bobagem vai...

    ResponderExcluir
  77. "Vin, não o Diesel" você tem algum problema de interpretação de texto? Os links em português e inglês estão todos lá. Primeiro, isso não é representatividade, é histéria.E quando leio HQ, estou me lixando se o Mancha solar está representando os brasileiros, por exemplo. Bairrismo é o último recurso de canalha.

    "Despite remaining under scrutiny for its liberal biases, Facebook has used the aftermath of the Dallas shootings to pander to Black Lives Matter.". Um cara que tripudia em cima de movimentos sociais sérios como o Black Lives Matter. Realmente, fonte de opinião de qualidade essa que você buscou se amparar."

    BLM é movimento sério? Só foi responsável por 4 mortes e 6 feridos. Definitivamente, desconsiderarei tudo que você postar de agora em diante.

    ResponderExcluir
  78. Por isso parei de acompanhar a Marvel como vinha acompanhando. Apesar dos pesares a DC ainda está um pouco livre dessa panfletagem ideológica. Tem uma coisa ali outras aqui, mas nada do naipe que a Marvel está fazendo. Os caras se venderam as militantes sociais ao ponto de aceitarem de boa vontade descaracterizar completamente o cânone, o "manto" e as características dos personagens clássicos da casa. O pior que nem é uma mudança que visa melhorar as estórias, coisa que seria natural, mas é bem claro o dedo de militância política ali. É uma situação vexatória para muitos leitores de quadrinhos de longa data.

    ResponderExcluir
  79. A verdade, é que essas revistas sempre foram esquerdistas e politicamente corretas, sempre houve essas mudanças, só que agora se declararam abertamente, porque não há mais barreiras sociais ao politicamente correto, agora é a vez deles, dos esquerdistas, feministas e politicamente corretos fazerem o que sempre quiseram fazer, essas revistas sempre foram esquerdistas, só estão mostrando mais as garras, só tiraram a capa.


    Agora, se o cara é conservador e compra essas revistinhas achando que não eram esquerdistas, só pode ser muito burro, é que nem conservador cristão que joga AC, um jogo esquerdista anticristão, só não vê quem não quer.

    Ainda bem que a mim não afeta, pois meus heróis estão longe do politicamente correto.

    ResponderExcluir
  80. A galera acha que só agora os quadrinhos estão incutindo ideologias políticas HUEHUHE....
    Como se Capitão América fosse um herói completamente isento de ideologia política.
    Como se a tendência de colocar vilões asiáticos não fosse um reflexo da segunda guerra mundial.
    Como se X-Men nunca tivesse sido sobre minorias.
    Isso pra citar apenas alguns principais.
    É muito ingênuo quem pensa que a cultura pop está livre de ideologia. Um artista sempre coloca sua ideologia em sua arte, consciente ou inconscientemente.
    E só pra constar, sobre vendas "Renascimento: Guerra Civil II resulta na maior venda direta do mercado em 20 anos": http://www.comicbookresources.com/article/rebirth-civil-war-ii-result-in-highest-direct-market-sales-numbers-in-20-years

    Quadrinhos sempre sobreviveram inovando, trocando, sendo pra frente, revolucionário, cada coisa de acordo com seu tempo, emitindo posicionamentos políticos, indo desde personagens nacionalistas em tempos de guerra como o Superman e o Capitão América até equipes inteiras como representações de minorias sociais, como os X-Men, passando por fases específicas que faziam alusão direta ao momento histórico em que viviam, como a referência à Guerra Fria e à Corrida Espacial nos quadrinhos do Quarteto fantástico. E ao mesmo tempo em que sempre fizeram isso, nunca ousaram tanto, pois sempre se seguraram com o que era comercialmente viável e mercadológico, afinal, eles têm que ganhar dinheiro sim. Agora que continuam inovando e resolveram dar espaço para as minorias, trocas de manto de grandes heróis que acontecem desde que existem os quadrinhos - Jason Todd/Dick Grayson, Robin/Asa Noturna, Robin/Capuz Vermelho, Peter Parker/Ben Reilly (anos 90) , Steve Rogers/Sam Wilson (anos 70), Stark/Rhodes (anos 90), Hulk/Hulk Cinza, Psylocke Britânica/Ninja Asiática, Homem Formiga, Golias, dentre muitos outros - de repente viraram "ditadura do politicamente correto" (aliás, o termo politicamente correto é extremamente mal utilizado nesse contexto. Politicamente correto é o Steve Rogers, não o Sam Wilson).

    ResponderExcluir
  81. Gui Neves, sério que você é homem? Feministo? Vai honrar seu gênero, nem feministas gostam de feministos, acham vocês nem um pouco atraentes e para elas vocês devem calar a boca pois na visão delas "só mulheres devem opinar sobre o feminismo" (teoricamente eu posso até opinar contra pois sou mulher rss) Considerar-se como "homem branco privilegiado" não vai arranjar namorada até porque feministas gostam é de limitar e mandar nos seus namorados e maridos. ;)

    Os guerreiros da causa social nunca são satisfeitos, sempre querem mais e mais e mais mas desafio criarem seus próprios quadrinhos e serem bem sucedidos com eles...

    ResponderExcluir
  82. Eu acho que o pessoal que é esquerda (não me levem a mal) não entenderam que o centro do texto não é ser contra a inclusão de personagens de etnias diferentes ou mudança de etnias dos personagens. O fato é que o conteúdo das histórias ficam massantes depois dos terceiros números devido a Justiçagem Social. A hq da Thor Mulher é horrível mesmo, esse Nazifeminismo destrói a graça da história. Parece que todos os homens no Mundo não podem contrariar uma mulher sem que seja machista. Concordo com muitos mais pontos do texto do que discordo.

    ResponderExcluir
  83. http://www.vortexcultural.com.br/artigos/guerra-civil-entre-leitores-da-marvel/

    ResponderExcluir
  84. O duro é que este tipo de coisa não está restrita somente ao mundo dos quadrinhos. Sou um trekkie. Daqueles que assistiram todas as séries e conheço razoavelmente bem o canon de Star Trek. Aí no novo filme eles estão para lançar, eles fazem o Sulu, timoneiro da Enterprise, simplesmente virar gay. Nada contra o fato em si. O problema é que existe 50 anos de filmes e episódios onde ele é heterossexual! A coisa pegou tão mal, que até o ator original, que é gay e militante LGBT, não gostou! Se quisessem um personagem gay, inventassem um e colocassem no meio da história.

    Conclusão: Não vou nem me dar ao trabalho de ir ao cinema. Ok, não só por isto. Existem uma série de outros motivos que começa pela destruição de Vulcano no filme de 2009 e um design esdruxulo do interior da Enterprise que me fez simplesmente não detestar os novos rumos. A ponto de eu já não ter ido ao cinema no filme de 2012. O caso do Sulu simplesmente se soma aos motivos de eu não gostar do reboot.

    ResponderExcluir
  85. O início do texto mostra a veia violenta usando a questão Palestina como vitimismo.
    Matéria paga por gente de má indole. Errado e não tem nada a ver com HQ.
    A DC preferiu ser branca, hetero e repetitiva.
    A Marvel sempre tornou o LEITOR em herói retratando gente igual ao leitor.
    Essa materia devia ser denunciada como propaganda de ódio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é um palhaço.

      Excluir
    2. Ô raça, adoram acusar todos que pensam diferente de haters, e fazem isso espumando de ódio...

      Excluir
  86. Eu não poderia concordar mais com esse texto. É tão bom que gostaria de ter sido eu mesmo a escrevê-lo !
    O leitor tradicional de quadrinhos nada mais quer do que ter seus personagens e suas linhas redacionais respeitadas. Não é crime querer que um Capitão América seja um brutamontes louro e patriota americano. Tanto quanto não é crime querer que o Pantera Negra seja um brutamontes negro e africano. Mas aparentemente, no mundo editorial atual e nos foruns de internet e redes sociais é um grande crime reclamar da mudança de cor, de sexo, religião e ideologia de um personagem. Todos somos obrigados a sorrir e ficar felizes quando personagens brancos viram negros (Falcão e Cyborg virando brancos é impensável, lógico) ou personagens homens virando mulheres (Mulher Maravilha e Tempestade virando homens é impensável, lógico).
    É a ditadura do politicamente correto, praga do nosso tempo e que como calças boca-de-sino, cabelos afro ridiculamente grandes e óculos com armações espalhafatosas estão na moda. Só que essas tendências viraram algo risível em qualquer paródia dos anos 70 e assim, um dia também faremos piada com essa necessidade patológica de corrigir injustiças sociais através da mudança de raça e sexo de personagens. Um dia riremos, mas hoje isso é um pé no saco !
    Mais uma vez obrigado pelo texto !

    ResponderExcluir
  87. Julio Cesar Antonio, Você não está na jihad islâmica, na coreia do norte ou nas ditaduras socialistas que tanto deve amar. Se você não gosta quando suas pautas são contrariadas, pode queimar o chão daqui e passar bem longe, seu fascistinha; Aqui todas as opiniões são respeitadas, mesmo as suas, que não valem nada.

    ResponderExcluir
  88. E matéria paga é o cacete. Antes tivesse sido.

    ResponderExcluir
  89. Personagem gay não é um problema, o problema é ele "tomar" o lugar de um personagem antigo. Dá para fazer um personagem gay foda, tipo Paul Monroe (Jesus) de The Walking Dead, o cara teve momentos muito fodas, é o favorito de muitos hoje, e não precisou tirar o protagonismo dos mais antigos como Rick Grimes, Michonne, Andrea.

    ResponderExcluir
  90. PQP! Qual o problema de se criar novos personagens e manter os antigos. Essa porra de SJW se mete em tudo que é canto. Nada está bom pra essa raça. Daqui a pouco vão transformar o Hulk em um transformista com a mesma desculpa de inclusão social. Apabósta!

    ResponderExcluir
  91. ...simples rapaziada...só boicotar...não ler e acabou.

    ResponderExcluir
  92. Essa era que vivemos é a era da chatice. As pessoas mais chatas, insuportáveis, mesquinhas e infantis da história se encontram aqui, nesse mundo, nesse momento, em algum lugar da terra.

    Acostumem-se com isso.

    Essa histeria de justiça social e minorias levou a humanidade a esse estado. Vemos pessoas de 30, 40 anos ou mais agindo como criancinhas choronas postando textos nas redes sociais se vitimizando, chorando porque o mundo não é da forma que elas gostariam que fosse. É tragicômico.

    Porque ao invés da mulher de ferro não criam uma personagem negra, autêntica e com mitologia própria? Pegar carona no sucesso de outro personagem é algo extremamente reprovável e desonesto.

    Mas é claro, as criancinhas do SJW não irão entender isso.

    ResponderExcluir
  93. A gente vê as vendas ma Marvel cair Mês a Mês e pensa: Eles estão recebendo o que merecem por fazer histórias ruins, lotadas de doutrinação esquerdista. Mas não pensamos que a Marvel possa ser, nas horas vagas, uma prostituta, rodando a bolsinha e se vendendo para partidos políticos. O quanto essa puta pode não estar ganhando fora das vendas dos quadrinhos; das mãos da Hilary, das mãos das ongs de direitos humanos. A Marvel deve estar é enriquecendo e está se lixando para os seus leitores.

    ResponderExcluir